LOGO UOL HOST

Receba por e-mail as novidades e publicações da Academia UOL HOST

Como fazer um vídeo matador para sua loja virtual

“Como é que isso funciona mesmo?” Se você já se pegou pensando isso ao olhar para um produto desconhecido em uma loja virtual, não está sozinho.

Não poder tocar no produto ou vê-lo funcionando é uma das limitações que colocam dúvidas na cabeça do cliente na hora de fechar uma compra online.

A eBags, loja virtual americana de malas e acessórios, apostou em uma fórmula matadora para resolver o problema: os vídeos de demonstração (veja um dos “garotos propaganda” deles na foto acima).

O primeiro, feito lá em 2007, foi produzido, filmado e editado por uma única pessoa – prova de que não é preciso ter uma estrutura profissional para colocar a câmera para rodar.

Os bons resultados mostraram que valia a pena investir na estratégia. Atualmente, a empresa oferece uma videoteca com centenas de títulos, que vão desde demonstração de produtos, passando por dicas de como organizar melhor a mala para viagens, até um passo a passo do processo de devolução em caso de trocas. Este último, aliás, é hoje o vídeo com maior número de acessos no acervo da eBags, com mais de 400 mil visualizações.

O resultado apareceu na forma de vendas. Segundo a loja, a taxa de conversão de quem assiste aos vídeos aumenta em mais de 50%.

Ou seja, ter vídeos em sua loja pode ajudar a dar aquele empurrãozinho final nos indecisos. Não tem orçamento para uma superprodução? Não faz mal. Com uma ideia na cabeça, uma câmera na mão (pode até ser a do seu celular, se ela for bacana) e nossas dicas, você pode começar a “brincar” de cineasta:

Pesquise o mercado

Dê uma boa fuçada nos sites de outras lojas – inclusive dos concorrentes. Busque por referencias, ideias, inspirações. Dedique-se a estudar um pouco sobre o tema. Comece dando uma olhada nos vídeos da própria eBags, que são bem legais.

Faça um roteiro

Coloque no papel a história que você quer contar no vídeo. Qual é o objetivo: ensinar, emocionar, convencer, demonstrar? Estruture um começo, meio e fim. Detalhe no roteiro tudo que for possível: o local onde ele será filmado, as falas (se for o caso) e até posição na qual os produtos deverão ficar diante a câmera.

Seja breve

Vídeos para internet não devem ser muito longos, senão quem está assistindo cansa e pula para outra janela do navegador. O cliente que está na sua loja provavelmente está interessado em conhecer melhor o produto, então vá direto ao ponto. A duração máxima recomendada é de 3 minutos.

Use equipamentos adequados

Você pode até gravar com o celular. Os modelos mais modernos oferecem boa resolução. E, afinal, quem não tem cão, caça com gato. Mas se os vídeos começarem a trazer resultados, avalie a possibilidade investir em uma câmera melhor. Se ela gravar em HD, a definição será melhor ainda.

Fique de olho na iluminação

Mesmo com um equipamento amador, há uma série de cuidados na hora de gravar que podem deixar seu vídeo com uma cara mais “profissa”. Um deles é a iluminação.  Prefira sempre luz natural – é mais fácil acertar com ela. Preste atenção para não fazer sombra no produto e vá testando diferentes posições até encontrar o ponto certo.

Silêncio no estúdio!

Se o vídeo for ter áudio, cuidado com os ruídos externos que possam interferir na gravação (cachorro latindo, motoqueiro passando, a vizinha gritando com o filho, e por aí vai…). Se você não estiver “em cena”, use um microfone para que a narração fique mais clara.

Foco no foco

Ajuste o foco para que a imagem fique nítida. Nada de fazer experiências à la “A Bruxa de Blair” no seu vídeo de produto. Para evitar o efeito treme-treme, use um tripé ou improvise outro tipo de apoio. O importante é ter estabilidade.

Luzes, câmera, ação!

Não adianta nada fazer um vídeo do seu produto parado, “sem vida”, como em uma fotografia. O vídeo tem que mostra-lo em ação, de vários ângulos, para não deixar dúvidas.

O e-commerce BBQGuys.com, que vende produtos para churrasco, não tem medo de “esquentar a chapa” e colocar as carnes para grelhar. Depois que começou a fazer vídeos mostrando os equipamentos em funcionamento, as taxas de conversão aumentaram em 20%.

Repita a gravação

Deu tudo errado no “take 1”? Não desista. Nem os grandes cineastas de Hollywood acertam de primeira. Repita a gravação até ficar do seu gosto.

Edite antes de publicar

Não dá para colocar no ar tudo o que você gravou. Selecione as melhores cenas e faça uma edição. Ferramentas simples e intuitivas, como o Movie Maker (que já vem junto com o Windows), já quebram o galho.

Distribua

Tudo pronto? É hora de publicar o vídeo. Há várias plataformas gratuitas no mercado, como YouTube, Vimeo e o UOL Mais. Com o vídeo no ar, é só colocar o link ou inseri-lo na sua página de produto.

Gostou das dicas? Que tal fazer um teste agora com o seu celular mesmo? O importante é vencer o medo e experimentar!