LOGO UOL HOST

Receba por e-mail as novidades e publicações da Academia UOL HOST

5 grandes vendedores do e-commerce que começaram do zero

Você já se pegou olhando para o site da Amazon ou do Submarino e pensando: “nunca chegarei lá”?

Bem, é verdade que, em geral, construir um grande e-commerce leva tempo e requer investimentos pesados. Mas muitas lojas de sucesso nasceram pequenas e tímidas e foram crescendo aos poucos.

Não leva uma fé? Então conheça algumas histórias inspiradoras de em empreendedores que criaram sues e-commerces do zero:

1.  Netshoes

No ano 2000, o paulistano descendente de armênios Marcio Kumruian resolveu abrir uma loja de sapatos física em um bairro central de São Paulo, com um modesto investimento de R$ 50 mil. O empreendedor colocou o nome da empresa de Netshoes simplesmente porque gostava de internet.

A loja evoluiu aos poucos. Começou com quiosques que vendiam produtos em academias e, após perceber que os artigos esportivos vendiam mais que os sapatos convencionais, se especializou no segmento. Em 2007, o fundador decidiu dar um salto de fé e atuar apenas via internet.

Assim, a Netshoes cresceu e está hoje entre as lojas virtuais mais acessadas do Brasil, mesmo sendo de nicho.

>> Quer mais inspiração? Confira 4 histórias de sucesso de empreendedores que "pensaram fora da caixa" para criar seus negócios

2. Wine.com.br     

Morar fora das grandes capitais financeiras do país, em Vila Velha, no Espírito Santo, não impediu Anselmo Endlich e Rogério Salume de criarem uma das mais bem sucedidas lojas virtuais de vinhos do país em 2009, a Wine.com.br.

Eles haviam trabalhado durante anos com vinhos e enxergaram a oportunidade de vender o produto via internet. Buscaram investimentos e estruturaram uma caixa totalmente personalizada para poderem entregar as garrafas em todo o Brasil sem perdas, batizada de WineBox.

Mais tarde, instalaram em Palmas, na capital de Tocantins, o centro de distribuição da empresa e assinaram uma parceria para as entregas com o setor de envio de cargas da TAM, a TAM Cargo.

No embalo do aumento do consumo de vinhos dos brasileiros, a empresa chamou a atenção de investidores e hoje faz parte da holding digital de investimentos do Grupo RBS.

3. OQVestir

O Site OQVestir, que, além de vender peças de roupas, presta consultoria de moda por meio de um chat online e de um blog atualizado diariamente, nasceu na imaginação de uma advogada. Mariana Medeiros teve problemas durante a segunda gravidez. Durante o repouso forçado, percebeu que não era muito fácil comprar roupas pela internet no Brasil.

Como não era da área de tecnologia nem de moda, conversou com especialistas e convidou a amiga Rosana Sperandéo, ex-editora de moda, para ser sua sócia. Pouco tempo depois, a também advogada Isabel Humberg completou a sociedade.

O site foi ao ar em 2009, cinco meses depois. Com alvo nas classes A e B, oferece produtos de mais de 70 marcas. Também tem uma área de outlet, em que são vendidas peças com até 80% de desconto.

Elas tiraram do próprio bolso o investimento para permitir que o site nascesse. Não demorou para que as empresárias chamassem a atenção dos investidores de grandes fundos internacionais, como a Tiger Global e a Kazkek Ventures, que já aplicaram na empresa algumas dezenas de milhões de reais.

>> Encontre mais inspiração para empreender no mercado de moda nesses 10 negócios inusitados para quem gosta de moda e beleza

4. Viajanet

Os paulistanos Bob Rossato e Alex Todres, de 32 e 37 anos, trabalharam na Decolar.com, agência argentina de turismo online criada em 1999 e avaliada em mais de 800 milhões de dólares. Com mais de 15 anos de experiência no setor, decidiram virar seus próprios patrões e fundar o Viajanet, site especializado na venda de passagens aéreas.

Todres é filho de comerciantes e nunca fez faculdades. Aprendeu tudo na prática, trabalhando na empresa dos pais. Eles estudaram nos livros e com outros profissionais para se prepararem para falar com bons fundos de capital de risco, de quem já receberam mais de R$ 30 milhões desde que a empresa foi fundada.

O site se especializou nas vendas para a nova classe média e atraiu a atenção dos fundos americanos de capital de risco RedPoint Capital e General Catalyst Partners. 

5. Bebê Store

O casal Leonardo Simão e Juliana Della Nina,que mora na grande São Paulo, tirou do bolso os primeiros recursos para fundar o comércio eletrônico de artigos para recém nascidos Bebê Store. Leonardo Simão já havia tentado obter grande sucesso e realização com três outras companhias, mas a Bebê Store foi a primeira empreitada totalmente realizada na internet.

A empresa foi fundada em 2009 e estava crescendo rápido. O casal achou que seria necessário buscar investimento para viabilizar o crescimento e acabou encontrado o apoio necessário no cofundador do Skype e criador do fundo de venture capital Atomico, Niklas Zennström. Após a negociação, a empresa recebeu um aporte de US$ 2,9 milhões do fundo.

Hoje outros sites fazem parte do grupo. São eles a Mommy Store, especializado em artigos para grávidas; Toy Store, que vende brinquedos infantis; e o Kids Store, que comercializa itens para crianças.