LOGO UOL HOST

Receba por e-mail as novidades e publicações da Academia UOL HOST

5 mitos sobre software como serviço nos quais você não deve acreditar

O avanço da computação em nuvem tem aumentado a fama de outra modalidade de contratação de tecnologia, o SaaS, ou software como serviço (a sigla, em inglês, de software as a service). Os aplicativos online são usados por praticamente todo mundo que tem acesso à internet. O buscador do Google, a rede social Facebook e os diversos serviços de webmail, por exemplo, encaixam-se nessa modalidade.

5 mitos sobre software como serviço nos quais você não deve acreditar

 

Se para os usuários comuns esses serviços se tornaram vitais, para as empresas sua adoção traz ainda mais benefícios. Não por acaso, o SaaS está em acelerada ascensão. 

De acordo com a empresa de pesquisas Gartner, a área deve registrar um crescimento anual de pelo menos 11% até 2016. Isso só não é maior porque ainda existe muita desconfiança por parte dos gestores – em grande parte, por falta de informação. Por isso, vamos desafiar, aqui, cinco mitos comuns sobre o SaaS:

1 - SaaS não é seguro 

Essa é, de longe, a dúvida mais comum. E faz todo sentido. Qualquer empresa que pense em armazenar dados em servidores localizados em um data center deve se preocupar com isso. Os provedores de cloud computing, no entanto, comprometem-se, por contrato, a proteger as informações armazenadas e restringir o acesso a elas. O nível de segurança é altíssimo.

2 - SaaS não tem estabilidade 

Nenhuma empresa quer ter problemas para acessar os aplicativos que rodam na nuvem. Afinal, decisões importantes não podem esperar. É exatamente por esse motivo que os provedores garantem um serviço estável praticamente o tempo todo, por meio de um termo chamado SLA. A taxa costuma ser superior a 99%, o que é mais que o suficiente para qualquer empresa.

3 - Os aplicativos de SaaS são limitados

Outra lenda muito comum, mas que não se sustenta. Os aplicativos que rodam em plataformas de SaaS podem ser tanto básicos como bastante complexos. Isso depende da necessidade de cada cliente. Se não fosse assim, grandes organizações não apareceriam entre as principais adeptas do SaaS.

4 - SaaS custa caro no longo prazo 

Muita gente acha que o SaaS fica barato no início, mas acaba custando muito mais com o passar do tempo. Mais um engano. Para fazer a conta, é necessário incluir todos os tipos de gasto: mão de obra, manutenção dos computadores, atualização de software, compra de novas licenças etc. O resultado, certamente, será favorável à computação em nuvem.

5 - Com o SaaS você perde o controle dos dados 

Outro mito. Os provedores permitem que você exporte as informações quando quiser – afinal, elas só dizem respeito à sua empresa. Por estarem na nuvem, seus dados podem ser acessados de qualquer lugar, a qualquer hora, o que é outra grande vantagem desse tipo de serviço.