LOGO UOL HOST

Receba por e-mail as novidades e publicações da Academia UOL HOST

As lições que você pode aprender com Jeff Bezos e a Amazon

Resiliência, visão de futuro, foco no cliente e disposição para inventar e experimentar o que ainda não existe. Estas são apenas algumas das características admiráveis em Jeff Bezos, fundador e CEO da Amazon – que ainda encontra tempo para investir em outros desafios, como a exploração do espaço (com sua Blue Origin) e a circulação de notícias (com o Washington Post).

As lições que você pode aprender com Jeff Bezos e a Amazon

Apesar de ser um dos mais ferrenhos desbravadores da internet, de ter fundado um modelo de negócio exemplar e de ter se mantido na crista da onda até os dias atuais, sendo uma promessa ainda por muitos anos, o empresário não goza do mesmo status de outros (como Steve Jobs e Mark Zuckerberg) entre os jovens empreendedores.

Mas nada disso o preocupa, pois, como bom missionário (para usar uma expressão típica), está preparado para trabalhar todos os dias, mesmo diante de falhas e rejeições. Sua alegria não está nas multidões de adoradores que repetem seus feitos e frases, mas em consumidores satisfeitos que possam transmitir o valor de sua experiência, trazendo novos descobridores para seu imenso império de e-commerce. 

Quer ser como ele? Conheça um pouco do modo de pensar a vida e os negócios deste empresário brilhante:

1 - Comece já

Bezos tinha um emprego convencional até decidir fundar a Amazon, depois de ter sido incumbindo de fazer uma pesquisa sobre o então incipiente mercado de vendas pela internet. Ele conta que o que o fez se decidir pelo caminho que conhecemos foi se imaginar com 80 anos e tentar minimizar o arrependimento que teria naquela idade. Desde então, uma de suas palavras de ordem é começar imediatamente os projetos que deseja ver prontos para evitar qualquer tipo de arrependimento por não ter tentado. 

2 - Ser missionário, e não mercenário

O empresário compara “missionários” com “mercenários” para dizer que, apesar da necessidade de começar algo novo sempre, não se deve ter pressa para “acabar”. Isso diz respeito tanto a fundadores quanto a colaboradores de uma empresa. O “mercenário” gasta sua energia toda em um dia para alcançar a recompensa, enquanto para o “missionário” a recompensa é poder fazer melhor sempre e a cada dia.

3 - Equilibrar persistência e flexibilidade

De acordo com Jeff Bezos, ser flexível a respeito dos detalhes é uma tática para persistir na visão do projeto. “Se você não for suficientemente teimoso, desistirá do seu experimento rapidamente, mas se você não for um pouco flexível, vai enlouquecer antes de enxergar uma solução diferente para o problema que está tentando resolver”, diz. Equilibrar os dois comportamentos e estados de espírito é uma necessidade de qualquer empreendedor. 

4 - Identificar e remover os riscos

Diferentemente do que se diz por aí, Bezos afirma que bons empreendedores não gostam de risco. De acordo com ele, quando o empreendedor tem uma ideia aparentemente boa, a primeira coisa com que deve se preocupar é em como eliminar o risco de executar essa ideia. 

5 - Estar sempre pronto para inventar

Não quer dizer simplesmente ser criativo, mas ter gosto por fazer diferente e encarar de bom grado as sombras desse processo: falhar e ser incompreendido. Este senso de experimentação inclui foco no cliente, alta competitividade, visão de futuro e paixão pelo que se faz.

6 - Manter equipes pequenas e funcionais

Bezos tem uma receita curiosa para estabelecer o tamanho ideal de um time: ele deve ser capaz de ser alimentado por duas pizzas. Mantendo os times pequenos − de 5 a 7 pessoas em cada núcleo −, a empresa consegue mais sinergia entre os envolvidos no projeto e mais foco de cada uma das equipes.

7- Experimentar tudo o que pode ser medido

Quando o empresário está diante de uma ideia nova, antes mesmo de avaliar seus ganhos e perdas, ele questiona a possibilidade de medir os resultados de sua execução. Isso dá à empresa a condição de inovar com o maior controle possível dos resultados esperados e evita que um esforço criativo seja depositado sobre uma estratégia cujos resultados não sejam visíveis e mensuráveis. 

8 - Pensar a longo prazo

Esta é uma das características mais reconhecidas e comentadas do perfil de Jeff Bezos: basta lembrar que criou seu e-commerce antes que as pessoas pudessem sonhar que comprariam tanto pela internet. Outro fato célebre é que, certa vez, numa entrevista, foi perguntado ao empresário sobre a porcentagem de crescimento da empresa e, surpreendentemente, ele não sabia os dados. Mas logo se justificou contando que não se lembrava desses números porque estava pensando alguns anos adiante. Há quem diga que sua recente compra do Washington Post é resultado, justamente, desta visão aguçada do futuro dos negócios.

9 - Escolher as pessoas certas para o time

Numa conferência, em novembro de 2012, o empresário falou sobre a necessidade de contar com as pessoas certas. De acordo com ele, poucos estão aptos a fazer parte de um time que gosta, verdadeiramente, de inventar e testar novos produtos, processos e serviços o tempo todo, e saber identificá-las e mantê-las no time é o que fortifica o DNA da empresa. 

10 - Valorizar o tempo das pessoas

Nas reuniões da Amazon, as apresentações foram abolidas, porque ali existe a crença de que um memorando (de até seis páginas) traz muito mais complexidade de pensamento do que uma apresentação. Os memorandos são entregues com antecedência aos participantes para que o tempo das reuniões seja usado para discutir as questões levantadas previamente.

11 - Valorizar o cliente

A certeza de que o cliente merece o melhor produto e todo o respeito e cuidado durante o processo de aquisição, seja do que for, é o que faz a Amazon oferecer pacotes de serviços que parecem pouco ou nada lucrativos e que mantêm consumidores apaixonados – como um mecanismo que avisa caso o comprador pareça estar comprando um produto que já tenha adquirido e até mesmo um sistema que possibilita ver o preço de concorrentes dentro da página da empresa. 

Trata-se do alinhamento de duas filosofias do empresário: pensar a longo prazo e valorizar a experiência do comprador.

12 - Investir no que não mudará

Se um dos diferenciais de um bom empreendedor é ter capacidade de enxergar as mudanças culturais antes que elas aconteçam, outro aparentemente oposto, mas não menos importante, é a habilidade para identificar o que permanecerá igual nos próximos anos e basear estratégias futuras nisso. Esta forma de pensar é o que guia, por exemplo, a Amazon no sentido de buscar sempre o melhor preço e a entrega no menor prazo possível para os compradores.