LOGO UOL HOST

Receba por e-mail as novidades e publicações da Academia UOL HOST

Como as novas regras de buscas afetam sua estratégia de SEO

No decorrer deste ano, o Google fez importantes updates no seu mecanismo de busca. Talvez você não tenha percebido, mas atualizações como Panda, Penguin e Hummingbird trouxeram mudanças importantes para quem trabalha com a otimização de sites para buscas (SEO).

O objetivo do buscador é sempre o mesmo: garantir que os usuários encontrem os melhores resultados para suas pesquisas.

Mas a forma como o mecanismo de busca chega a esses resultados vem evoluindo com o passar do tempo.

O objetivo, no longo prazo, é fazer com que o buscador entenda, da forma mais natural possível, o que queremos encontrar.

Sim, isso significa que, daqui a alguns anos, você poderá perguntar ao seu celular: “Onde posso tomar um bom suco natural perto de casa?” em vez de digitar “suco natural Vila Mariana São Paulo”.

Aos poucos, essas mudanças vão sendo introduzidas e os buscadores vão ficando mais inteligentes, o que significa que espalhar meia dúzia de palavras-chaves pelo seu site não é mais suficiente para satisfazê-los e aparecer bem nos resultados.

A chave para uma boa estratégia de SEO, cada vez mais, é construir sua autoridade no Google, mostrando que você tem conteúdos relevantes, contextualizados e bem avaliados para oferecer.

Confira algumas dicas para se sair bem nessa missão:

1 - Abra seu leque de palavras 

Até pouco tempo, muita gente investia em poucas palavras-chaves específicas para conquistar uma boa posição nas buscas. Cada vez mais, é preciso pensar de forma mais abrangente. 

Na medida em que os buscadores entendem sinônimos e contextos (a chamada busca semântica), é preciso trabalhar com nuvem de termos relevantes, sempre levando em conta o conceito de cauda longa, ou seja, as buscas específicas que os usuários podem querer fazer para chegar ao seu site.

2 - Ofereça soluções para os problemas dos usuários

Quem faz uma busca, em geral, está tentando resolver um problema ou tomar uma decisão – “onde comer”, “como escolher um produto”, “como consertar algo que está quebrado”, “onde encontrar uma informação” e por aí vai. 

Se você quer ser relevante, ofereça respostas às dúvidas mais comuns dos seus potenciais compradores criando conteúdos completos e de qualidade. Você pode descobrir quais são as questões mais comuns pesquisando nos próprios buscadores ou da forma tradicional (que nunca sai de moda): perguntando diretamente aos seus clientes.  

3 - Incentive o compartilhamento

Uma curtida ou compartilhamento no Facebook mostra ao buscador que seu conteúdo foi útil e atendeu ou superou as expectativas do usuário. Logo, ele é relevante.

Acrescente botões para facilitar o compartilhamento, mas, acima de tudo – sim, vamos bater nessa tecla quantas vezes for preciso −,  crie conteúdos interessantes, que as pessoas queiram compartilhar.

4 - Seja autoridade na sua área

Se você produz conteúdo inédito, de qualidade e com uma frequência bacana, você pode se tornar uma “autoridade” perante o buscador.

Essa autoridade “emana”, de novo, da popularidade do seu conteúdo nas redes sociais, mas também do volume de links de qualidade que apontam para o seu site. Imagine que você vende azeites gourmet e vários blogueiros respeitados da culinária fazem links em seus sites para suas receitas e dicas. Isso mostra ao buscador que você “manja” do que faz.

Outra dica importante: crie um perfil no Google+ e vincule seu site a ele. Isso fará com que o Google enxergue melhor o conteúdo que você está produzindo e compartilhando.

5 - Não caia em tentação

Links pagos, fãs comprados, conteúdo oculto nas páginas. Tudo isso é coisa do passado. Fazer isso não só não lhe trará benefícios, como também poderá resultar em perda de relevância. Fuja dessas armadilhas!