LOGO UOL HOST

Receba por e-mail as novidades e publicações da Academia UOL HOST

Por que sua empresa deve ter uma página e não um perfil no Facebook

Sua tia, sua mãe, seu vizinho, seu colega de trabalho e o melhor amigo de infância. Todos estão no Facebook. A rede social mais popular no país já conta com 76 milhões de brasileiros conectados, segundo o último balanço divulgado pelo próprio Facebook.

Naturalmente, as empresas também estão por lá. O problema é que, na hora de entrar para a rede, muita marca faz confusão.

É amigo ou fã? Adicionar ou curtir? Esses são dilemas comuns na cabeça de um empreendedor novato no mundo do “feice”.

Calma! A gente te ajuda a desatar esse nó. Entenda a diferença entre perfis e páginas, e saiba por que sua loja deve ter o último e não o primeiro:

Página e perfil têm objetivos diferentes

Os perfis têm caráter pessoal. Foram criados para pessoas entrarem em contato, por meio de todas as ferramentas que a rede social oferece, com outras pessoas ou empresas. 

Já as páginas, essas sim, servem para empresas, organizações e celebridades entrarem em contato com seus clientes ou fãs.

Inclusive, a criação de perfil para pessoas não físicas é proibida pelas normas do Facebook. O descumprimento pode causar o cancelamento da conta. E, caso isso aconteça, você perde todo o conteúdo postado e o contato com todos os clientes/amigos.

Perfil tem número limitado de amigos

Quer ter um milhão de amigos? Nada feito. Cinco mil. Este é número máximo de amigos que um perfil pode ter. Para uma pessoa física, convenhamos, é suficiente. Mas para uma empresa. . .

Sua intenção, provavelmente, é que sua marca atinja o maior público possível, não é mesmo? Pois bem. Para as páginas, o céu é o limite. Quanto mais fãs, melhor!

Outra vantagem: ser um fã é mais simples que ser um amigo. Não é preciso esperar por confirmação de amizade. Basta clicar em “curtir” e pronto. O internauta já faz parte dos contatos da loja.

Páginas oferecem mais recursos de personalização

As fanpages têm recursos de personalização que vão além da imagem de capa (que é o caso dos perfis). Nelas, é possível criar abas para dividir e organizar o conteúdo da empresa.

Uma das maneiras de usar essa facilidade, por exemplo, é criando um espaço para o SAC. As reclamações, sugestões e dúvidas podem ser enviadas diretamente por esta aba e respondidas no mesmo espaço.

Páginas oferecem ferramentas de métricas

Um dos recursos mais interessantes que a página disponibiliza às empresas é o “Insights”. Essa ferramenta permite que o usuário acompanhe a evolução de sua página e tenha acesso a alguns dados estratégicos. 

É possível saber quais são as publicações mais vistas, número de pessoas alcançadas, novas curtidas no período e nível de engajamento e interação da página.

Os dados podem servir tanto para o aprimoramento de suas ações na rede, quanto para traçar o perfil e os principais interesses de seus clientes.

Páginas permitem ações publicitárias

As fanpages permitem que o administrador use recursos pagos para aumentar o alcance das publicações. Em perfis pessoais, isso não é possível.

O serviço de publicidade da rede, o Facebook Ads, pode ser uma estratégia para conquistar novos clientes e aumentar a presença da marca na web. 

Mark Zuckerberg admitiu, recentemente, inclusive, que o alcance orgânico das postagens está em queda. Para aumentá-lo, o jeito é investir nos anúncios. #Ficadica para as empresas.

 

Depois dessa lista, ficou fácil perceber que a sua loja precisa mesmo de uma página e não de um perfil, né? Mãos à obra, crie já sua fanpage!