LOGO UOL HOST

Receba por e-mail as novidades e publicações da Academia UOL HOST

Passo a passo para criar o storyboard dos vídeos de seus produtos (com ilustrações)

Aprenda a montar um roteiro para os vídeos de sua loja virtual

Não basta ter somente um bom portfólio de produtos, a questão principal é criar meios ou métodos para divulgar o seu trabalho. Qual a melhor forma de fazer isso? Há algumas, dentre elas o vídeo.

Hã!? Como assim? Explicamos: pequenos vídeos de 30 segundos a um minuto podem ser uma maneira simples, fácil e barata de expor e demonstrar rapidamente o que sua empresa oferece.

⇒ Leia também: 5 lojas virtuais que usam vídeos para aumentar as vendas

Não é necessário criar uma superprodução. Nesses casos, é preciso utilizar a criatividade e transformar menos em mais. Ou seja, elaborar com poucos recursos algo que seja objetivo, simples, porém eficaz e que transmita, principalmente, uma mensagem. O vídeo pode ser exibido tanto nas suas redes sociais e blog quanto na própria loja virtual.

Quando planejamos a concepção de um vídeo, a primeira coisa a que devemos nos atentar é a criação de um storyboard. Mas o que é exatamente isso? É uma espécie de roteiro formado por uma série de desenhos, ilustrações ou miniaturas que, em sequência, formam a pré-visualização do início ao fim de um vídeo.

storyboard pode ser criado à mão ou usando alguma ferramenta digital. Ele costuma detalhar o ambiente, produtos exibidos e as passagens/ações do filme. O principal aqui é conseguir visualizar e mapear toda a sequência e trajetória do vídeo, de forma que todos na sua equipe entendam a mensagem que você quer passar.

Abaixo, vamos demonstrar, passo a passo, como produzir um storyboard de vídeo pensado no cenário de uma loja virtual:

Parte 1: mapeando a história

As quatro etapas abaixo estão intimamente relacionadas, e é a partir da reflexão de cada uma que o empreendedor terá a noção do storyboard para depois começar a montá-lo.

− Defina seu objetivo e estabeleça uma linha do tempo

A primeira coisa a fazer é decidir o que você vai exibir e qual o objetivo do seu vídeo. A resposta vai definir o rumo do seu storyboard e a maneira como você vai montá-lo.

Você pode, por exemplo, escolher uma pessoa para apresentar o produto ou serviço. Outra ideia é fazer um storyboard no estilo de um comercial, criando uma história que conte desde o início da compra até a entrega dela na casa do cliente.

Logo no início, estabeleça a ordem cronológica dos acontecimentos, defina quantas cenas terá e a quantidade de produtos que você gostaria de focar.

Se você comercializa eletrodomésticos e quer fazer um vídeo demonstrativo de uma geladeira, por exemplo, alguns takes possíveis seriam: refrigerador fechado (cena 1), depois com a porta aberta pela metade (cena 2), em seguida o seu interior (cena 3) e depois ele com uma variedade de alimentos (cena 4).

− Formato do vídeo e ambiente que será filmado

Normalmente, storyboards de filmes ou comerciais se passam em um, dois ou mais lugares. Uma opção simples e barata é filmar nas dependências da empresa, pode ser na sala de reunião, na fachada da empresa (onde é possível ver o logo) ou em frente ao computador.

Pense na possibilidade de filmar em mais de um lugar. No entanto, para um vídeo rápido e curto, apenas um ambiente já pode ser interessante.

Se você escolheu uma pessoa para apresentar o que sua empresa oferece, pense no lugar onde isso será filmado.

Pode ser em um fundo branco ou chroma key (aquele que é verde) e isso possibilitará a inserção de animações. No entanto, tudo isso gera um custo e, provavelmente, vai precisar de pessoas especializadas que saibam criar animações e inseri-las no vídeo.

Já no caso de vídeo de produtos, é preciso decidir o formato em que você quer exibi-los: se vai montar uma animação em flash ou se terá imagens de produtos passando na tela. Você pode mesclar ideias, por exemplo, alguém apresenta o produto e as imagens vão aparecendo ao lado.

− Ferramentas de edição

A produção requer algum programa de edição de vídeo. Existem desde os mais profissionais, como Adobe Premiere e Final CUT, até os mais simples e caseiros, como Movie Maker (para Windows) e iMovie (para Mac). Tudo vai depender do seu grau de intimidade com as ferramentas ou da verba disponível para contratar profissionais.

− Orçamento

Quando definimos a quantidade de cenas, a linha do tempo e o formato de vídeo, devemos levar em conta o orçamento que temos para investir na produção e as ferramentas requeridas.

Se a verba é curta, a melhor opção pode ser escolher um representante da empresa (proprietário ou gerente comercial) e filmá-lo contando o diferencial do produto em um discurso dinâmico.

Nesse caso, a produção vai depender muito do interlocutor, que precisará ter dinâmica e fluidez para falar diante da câmera.

− Comunicação

Esta parte é importante e essencial, é com ela que você capta o interesse de seu público. Há produções que não possuem falas, somente algum som ao fundo, e se utilizam de chamadas e textos no próprio vídeo. Esse formato é definido como promo ou promocional, e geralmente apresenta o valor do produto ao lado da imagem. Já em produções que contam com um apresentador, é preciso analisar o tipo de linguagem.

Parte 2: projetando o storyboard

− Definindo o modelo de storyboard

Agora que você tem uma ideia do que é necessário para montar um storyboard, fique atento na maneira como você vai desenhar ou produzir o seu.

Uma cartolina dividida a lápis em quadros vazios, do mesmo tamanho, já é um começo. O importante é passar a ideia principal de maneira que seja compreendida por todos.

Outras opções são: Adobe Illustrator, storyboardthat.com, Microsoft PowerPoint, Amazon’s Storyteller ou inDesign para criar um modelo de storyboard no formato vertical ou horizontal.

Esboçando o roteiro

Dê vida às cenas desenhando alguns esboços. Comece fazendo um rascunho e, ao mesmo tempo em que cria, repare se é possível estabelecer uma ordem cronológica, de modo que a ideia principal esteja sendo transmitida.

Enquanto você esboça cada cena, apagando e desenhando (quantas vezes forem necessárias), atente-se aos seguintes detalhes:

Ângulo da câmera: alto ou baixo − varia, vai depender se o interlocutor está em pé ou sentado.

Tipo de tomada: amplo, close-ups, sob os ombros, em movimento etc. Vídeo para redes sociais podem ser feitos com a pessoa segurando a câmera e andando pela empresa.

Iluminação: faça testes e veja se o ambiente não está muito escuro ou claro. Lugares fechados, provavelmente, vão precisar de alguma luz artificial. Não filme contra o sol, pois seu vídeo ficará escuro.

Acrescentando descrições

Em cada cena insira sempre uma descrição do que está acontecendo. Informe o tempo de duração de cada etapa. Enumere as cenas para que seja fácil a compreensão quando discutir o storyboard com outras pessoas.

Finalizando: hora de revisar

Quando tudo estiver terminado, você deve compartilhar com outras pessoas (é sempre importante mais de um olhar) e revisar cada passo. A opinião e o entendimento de outras pessoas vão guiá-lo e ajudá-lo na percepção de sua história, assim, você pode observar se ela tem um sentido e se passa a mensagem que você quer.

Está com o roteiro criado em mãos? Hora de partir para a produção. Veja alguns textos que poderão ajudá-lo nessa próxima etapa:

Como fazer um vídeo matador para sua loja virtual

6 coisas que seu vídeo de produto precisa ter para chamar a atenção

Impulsione seus negócios com ajuda do YouTube