LOGO UOL HOST

Receba por e-mail as novidades e publicações da Academia UOL HOST

3 histórias que mostram que nunca é tarde para empreender (e aprender)

Especial Dia dos Avós - 24 de julho

Quando falamos em avós, qual a primeira memória que lhe vem à mente? Comidinhas gostosas, mimos de tricô e crochê, jogo de dominó na praça e aversão à tecnologia?

Bem, o último item, então, pode estar meio desatualizado em sua lista de “memórias”. Apesar de terem nascido e crescido em uma geração desconectada, muitos idosos não estão dispostos a, também, morrer sem descobrir o mundo virtual.

Muitos deles, inclusive, vão além do entretenimento e da curiosidade, e já contam com a internet como instrumento de trabalho, transformando-se em empreendedores digitais da terceira idade.

⇒ Leia também: Saiba como conquistar a confiança da terceira idade no e-commerce

Dados do Sebrae mostram que depois dos 60 anos pode ser a melhor idade para comandar um novo negócio, já que a experiência e a maturidade garantem pontos positivos para o empreendedorismo. E com o e-commerce não é diferente. Por mais que esse mercado seja conhecido por dar espaço a pessoas mais jovens, tem muito vovô fazendo bonito no meio digital brasileiro.

“Usar a rede de relacionamentos estabelecida durante toda a carreira e trocar experiências com outros empresários faz com que os mais velhos tenham sucesso no mundo do empreendedorismo”, avalia Alessandra Ferreira, diretora comercial do Great Group e coach da empresa AlleaoLado.

E para provar que eles estão “mandando bem” no mercado digital, buscamos três histórias de sucesso de empreendedores que apostaram (e se deram bem) no setor online quando já tinham “idade de vovô”. Confira:

OneBuy - www.onebuy.com

Um dos empecilhos para os mais velhos comprarem pela internet é o cadastro. São muitos dados para preencher, sendo que alguns eles já não se lembram de cor. E quanto a outras informações, eles ficam com receio de divulgar na internet e, assim, a loja virtual acaba perdendo a venda.

Pensando em terminar com esse momento burocrático, Luiz Fernando Figueiredo, 51 anos, e Leo do Amaral, 69 anos, juntaram-se aos amigos mais novos, Marcelo Rosa e Affonso Giaffone, para criar a OneBuy. Trata-se de uma ferramenta que unifica todos os cadastros no e-commerce. Dessa forma, os clientes não precisarão mais preencher vários formulários antes de fazer sua compra pela internet.

Os sócios, mesmo sem experiência alguma no setor digital, decidiram apostar na ideia e passaram dois anos desenvolvendo a tecnologia, até lançá-la no mercado em 2014. “Investimos 7 milhões de reais em uma tecnologia única no mundo para lojas virtuais”, conta Figueiredo.

A plataforma digital registrou, no primeiro semestre de 2015, uma média de 120 mil transações mensais. Na lista de lojas que usam o sistema, podemos encontrar Giuliana Flores, Chocolat Du Jour e Netfarma.

A cautela vinda da experiência dos dois empresários mais velhos unida ao perfil mais arrojado de seus sócios foi importante para que o negócio decolasse. Hoje, já existem planos para a expansão global da plataforma, que deverá acontecer em breve, segundo Figueiredo. Esse salto, inclusive, foi ideia vinda por parte dos sócios mais velhos.

“Nós [Figueiredo e Amaral] atuamos na parte estratégica da marca, pensando os investimentos que devem ser feitos e o que podemos colocar em prática para um sucesso ainda maior no mundo do empreendedorismo”, revela Figueiredo.

Reis Office - www.reisoffice.com.br

José Martinho Reis deixou a cidade de Barbacena (MG) ainda adolescente, em busca de novas (e boas) oportunidades. Logo chegou a São Paulo e foi trabalhar como office boy, destacou-se, foi promovido e ali ficou por dez anos.

Depois de tanto tempo observando e conhecendo a rotina de um escritório, aos 29 anos, Reis decidiu jogar tudo para o alto e abrir seu próprio negócio. Fundou a Reis Office, que comercializa equipamentos para escritório. Na época, vendia aparelhos como máquina de escrever, telex e fax.

Mas nos anos 2000, com a chegada da internet, sua loja perdeu força e a clientela e o empreendedor precisaram se reinventar rapidamente. “Quando comecei meu negócio [em 1984] era jovem, e haveria tempo para mudar o rumo, caso não desse certo. Mas a essa altura já não era mais assim, então tive medo”, relembra Reis, que hoje tem 60 anos.

Em vez de se conformar com o fracasso e apontar a internet como inimiga, de maneira inteligente resolveu aliar-se a ela. Diversificou seu portfólio de produtos, incluindo impressoras multifuncionais, câmeras digitais e scanners, e decidiu apostar também no e-commerce.

“Mesmo tendo dificuldades para começar no mundo digital, fomos em frente e hoje colhemos os frutos. Os empreendedores não podem desistir de seus sonhos e devem buscar, sempre, conhecimento e atualização em sua área de atuação”, aconselha Reis.

Atualmente, a empresa fatura 100 milhões de reais por ano com outsourcing de impressão e conta com 200 funcionários em sua sede em Guarulhos (SP). Além dos equipamentos, a Reis Office também oferece soluções para impressão, digitalização, transmissão e armazenamento de documentos. E Reis continua à frente do negócio, firme, forte e, agora, conectado!

Box Colchões - www.boxcolchoes.com.br

O senhor Ali, como é conhecido o dono da Box Colchões – Ali Mohamed Smaili – não fica longe de sua empresa um dia sequer. Apesar de ter 84 anos, acompanha de perto todos os movimentos de suas duas lojas físicas, além das vendas online, que são as responsáveis por grande parte do faturamento da empresa.

Quando começou a empreender, Ali já tinha 64 anos, mas isso não foi motivo para que ele se retraísse no mercado. “Nossa empresa começou muito humilde, em 1999, com capital muito limitado. Mas sempre estivemos atentos às mudanças do mercado para ter sucesso dentro do nosso nicho”, avalia o senhor empreendedor.

Por conta desse olhar atento, em 2007, quando tinha 76 anos, Ali resolveu investir no e-commerce, já que percebeu o grande potencial do mercado online para o seu setor. “Na época, a loja virtual não vingou por conta da minha inexperiência nesse mundo. Além de não entender nada de SEO, não tinha nenhuma informação sobre esse tipo de mercado”, relembra Ali.

Mas, insistente e convicto do que queria, o empresário decidiu tentar novamente em 2010, e dessa vez contratou profissionais para orientá-lo e ajudá-lo em estratégias de SEO e campanhas patrocinadas na web.

“O virtual alavancou expressivamente nossas vendas, fazendo com que nosso faturamento saltasse de 25 mil reais para 70 mil reais mensais”, conta Ali.

Atualmente, grande parte das vendas online é oriunda de campanhas de links patrocinados e de um bom trabalho de SEO, que eles desenvolvem constantemente.

Viu só? A idade não pode, aliás, não deve ser uma desculpa para não apostar em loja virtual. Se você tem vontade de empreender, vá atrás do seu sonho, independentemente de quantos anos você tenha.

⇒ Leia também: Inspire:se 7 jovens que empreenderam antes dos 18 anos