LOGO UOL HOST

Receba por e-mail as novidades e publicações da Academia UOL HOST

12 passos para fazer o planejamento de sua empresa para 2016

Organize-se para o ano que está chegando!

É hora de se fazer aquela pergunta: Como foi o ano da minha empresa? Pois é, nesta época, não devemos parar apenas para fazer a lista pessoal de promessas para o próximo ano, também precisamos olhar para os nossos negócios, avaliar os resultados, preparar estratégias e definir metas para o ciclo que vem por aí.

Para estar pronto para manter seu lugar no mercado, é preciso muito planejamento. Pontuando com antecedência seus objetivos e as ações que serão realizadas no decorrer do ano, você consegue navegar mais tranquilamente pelos afazeres e dirigir o negócio sem perder o controle.

“Os negócios digitais estão em alta e tem muita gente investindo nesta área. É preciso ficar de olho e buscar atualização constante, para oferecer sempre o que há de melhor e estar um passo à frente da concorrência”, indica Donizete Böger, coordenador do Sebrae/SC Vale do Itajaí.

Com a ajuda de especialistas em empreendedorismo e gestão, separamos algumas dicas para que você consiga se organizar e fazer o planejamento da sua empresa para o próximo ano. Confira!

1. Faça um balanço do ano que passou

Antes de começar um novo planejamento, é importante fazer uma avaliação de como foi 2015 para o seu negócio. Tente recuperar informações e fazer um levantamento completo de dados.

Pergunte-se: As metas foram atingidas? As estratégias funcionaram? Como o seu público reagiu? Em que ações os seus recursos foram aplicados? Qual foi o desempenho dos funcionários? Como está a imagem da empresa? Os resultados são satisfatórios? O que pode melhorar?

“O balanço nos permite a correção de rota, assim como guia a estratégia a ser adotada para o cenário que se desenha na atualidade”, explica Marcelo Souza, sócio-proprietário da empresa Plano de Negócios Online – Planoo.

2. Faça um estudo de mercado

Entendendo a situação atual da sua empresa, siga para uma compreensão do mercado. Verifique fatores internos e externos que possam impactar o seu negócio.

“Analise se o mercado está comprando, quais as demandas com mais saída, o que os clientes procuram, como está a condição econômica do país”, destaca Böger.

Além disso, o economista e diretor de finanças corporativas, M&A e governança corporativa da Crowe Horwath, Francisco D’Orto Neto, ressalta a importância de incluir no planejamento itens bastante pontuais.

“Devem estar presentes no planejamento premissas macroeconômicas, tais como previsão de inflação, variação cambial, taxa de juro, liquidez de moeda ou meio circulante”, pontua.

3. Prepare uma projeção de cenários

Crie diferentes situações envolvendo possibilidades pessimistas, otimistas e mais prováveis/realistas, assim, você diminui o risco de ser pego desprevenido, seja qual for o contexto.

“Considere as ameaças que podem afetar o desempenho da empresa e avalie as oportunidades que esse cenário apresenta. Projetar cenários mais realistas é um bom início para não furar o orçamento do ano seguinte”, recomenda Böger.

Baseie-se no histórico da sua empresa, que já está no seu balanço, e no estudo de mercado para pensar em situações que podem acontecer no futuro.

4. Trace metas e objetivos

O que você deseja alcançar nos próximos 12 meses? Esta é a hora de colocar seus objetivos no papel e definir metas para o ano da sua empresa. Embora seja fácil deixar os sonhos voar soltos, esforce-se para pensar no que será necessário para conquistar cada meta.

“Leve em conta projeção de demanda, comportamento da concorrência, disponibilidade e comportamento de fornecedores, abrangência geográfica do negócio, as pessoas envolvidas, os processos empresariais, o relacionamento com os clientes, cenários financeiros e a viabilidade do negócio”, aconselha Souza.

5. Revise sua estratégia empresarial

Essa revisão deve passar pela declaração de seu negócio, sua visão, sua missão, seus valores, sua cultura e abranger ambiente, tanto externo – por meio de suas oportunidades e ameaças –, quanto interno – com suas forças e fraquezas.

Aqui, aproveite para adequar suas estratégias e seus valores às metas e aos objetivos que acabou de estabelecer.

“Realize o estabelecimento da postura que a empresa vai assumir, seus fatores críticos de sucesso e, complementando, qual será o posicionamento para a empresa em relação ao seu mercado de atuação”, aponta Souza.

Vale lembrar que essa é uma fase essencial, uma vez que serve como bússola para todas as ações a ser planejadas e para a consolidação da imagem da empresa, tanto para o público quanto para a equipe interna.

⇒ Leia, também, o Capítulo 2 do Superguia –  Prepare sua loja para decolar. Lá, você encontra ferramentas e metodologias que vão ajudá-lo na hora de organizar o seu planejamento.

6. Crie um calendário de ações promocionais

Esta é uma maneira bem visual de se programar para cada atividade a ser preparada no decorrer do ano. Pense nas datas mais importantes para o comércio, de modo geral – Natal, Black Friday, Dia do Frete Grátis etc. – e também nas específicas do seu negócio.

Marque cada uma dessas datas e já deixe previstas em seu planejamento anual quais ações promocionais serão feitas em cada uma delas.

“Ainda que todas as ações não sejam planejadas nesse momento, isso já vai ajudar a esclarecer o que vai demandar investimento de tempo e recursos durante o ano”, completa Böger.

⇒ Leia, também: Superguia – Como planejar uma promoção de sucesso. Lá, você encontra todos os passos para ter sucesso nessas ações.

7. Trabalhe a estratégia de marketing

Elementos de marketing, tais como produtos/serviços, promoção, ponto/distribuição, preço praticado, pessoas envolvidas, processos e a percepção de valor de seus clientes, devem ser abordados, revistos e redesenhados, de acordo com a necessidade da empresa.

“Além disso, procure pensar nas campanhas que devem ser lançadas durante o ano, avalie se seus canais de comunicação e de divulgação da marca estão funcionando como gostaria e faça a adequação de cada estratégia aos objetivos já estabelecidos e às possibilidades do seu negócio”, ressalta Souza.

8. Delineie as estratégias operacionais

Lidar com o operacional é definir as partes mais práticas do negócio. Aqui, você vai pensar em quadro de funcionários, questões de logística, estoque, instalações, capacidade de produção ou venda.

“A estratégia de operações deve ser, também, trabalhada neste planejamento, a fim de que a operação possa suportar o estabelecido na estratégia empresarial e na estratégia de marketing”, pontua Souza.

9. Estruture sua equipe

É importante revisar as responsabilidades, tarefas e o desempenho de toda a sua equipe para conseguir encaixar cada funcionário nas novas estratégias e estruturá-los para futuros desafios. Isso vale não só para os funcionários, mas também para prestadores de serviços e para as próprias atividades – faça sua autoavaliação!

É o momento de programar cursos e treinamentos, planejar férias e organizar estratégias para motivar e envolver a equipe no ambiente da empresa.

“Se pretende contratar novos funcionários ou buscar novas parcerias, aproveite para avaliar a necessidade e prever essa possibilidade no planejamento, definindo o perfil do que procura”, aconselha Böger.

10. Organize um orçamento anual

Agora que você já tem uma ideia de tudo o que será feito durante o ano na sua empresa e já levantou hipóteses, é preciso colocar na ponta do lápis cada uma das fases. Construa um orçamento sem fugir das possibilidades reais do seu negócio e que abarque as necessidades de forma geral.

“Coloque todas as receitas que a operação vai gerar e os gastos associados à sua execução, envolvendo os fixos e variáveis, tributos e despesas associadas à venda. Os investimentos também devem ser previstos, tanto os destinados a ativos fixos, quanto ao uso de capital de giro pela empresa”, esclarece Souza.

⇒ Baixe a planilha gratuita de controle financeiro UOL HOST.

11. Direcione seus investimentos

Alguns indicadores apontam que 2016 ainda será um ano de crise no cenário econômico nacional. No entanto, Marcelo Souza ressalta que cada empresa é única e que a crise pode impactar os nichos de formas diferentes.

“Ou seja, pode ser que, mesmo em um ambiente de intensa crise, as condições de contorno de um negócio possam contribuir para o seu crescimento, em detrimento de muitos outros que estejam reduzindo as suas operações”, comenta Souza.

Para quem está passando por momentos difíceis e precisa fazer economia, uma boa alternativa é analisar, com cuidado, as prioridades para conseguir direcionar os investimentos com mais segurança.

“Para investimentos, o cenário deve atender a uma priorização de projetos, considerando-se tempo de retorno, volume e fonte de financiamento. Esses investimentos são estratégicos e visam a manter a competitividade da empresa e sua presença no mercado”, aconselha Neto.

12. Defina prazos para avaliação

Por fim, todo planejamento exige acompanhamento constante e avaliação. Defina prazos para avaliar o que está e o que não está funcionando.

“Sempre que necessário, é importante atualizar as informações e os dados do documento, retraçando as rotas e buscando sempre o melhor caminho para o negócio”, complementa Böger.

Pronto para começar o seu planejamento? Então bom trabalho e Feliz Ano Novo!