LOGO UOL HOST

Receba por e-mail as novidades e publicações da Academia UOL HOST

Correios, transportadora ou entrega própria: o que é melhor para minha loja?

Veja os prós e contras de cada tipo de entrega

A logística é uma das áreas mais importantes para qualquer e-commerce. Afinal, você pode ter uma loja linda, preços ótimos, atendimento excelente, mas se o produto não chegar, for avariado ou extraviar no caminho, há um grande risco de ter um cliente insatisfeito no final.

É claro que, muitas vezes, não há possibilidade de ter certeza absoluta de que o produto vai chegar perfeito até o consumidor, principalmente quando não é sua equipe que faz a entrega. Mas, escolhendo com bastante cuidado e considerando alguns pontos antes de decidir como enviará o produto, você minimiza o risco de algo dar errado.

Vamos ver os prós e contras das três principais formas de entrega: Correios, transportadora e entrega própria.

>> Leia também Profissionais de e-commerce contam como ter uma logística infalível

Correios

A principal forma de entregar produtos no país, os Correios são conhecidos por todos os consumidores, o que já conta como um ponto a favor.

Boa parte das plataformas de e-commerce já conta com sistema de cálculo de frete com padrões de peso e dimensões dos Correios, o que também facilita muito a vida do consumidor.

Os Correios também têm diversas modalidades de entrega, como o PAC (que é um dos mais baratos) e o Sedex (que é mais caro, porém entrega mais rápido) e também há serviços que facilitam a vida do lojista, como a coleta domiciliar, em que é possível agendar dias específicos para que as encomendas sejam retiradas no seu endereço.

No entanto, os Correios têm algumas regras bem rígidas sobre as embalagens dos produtos e com relação ao que pode e não pode ser despachado. Por exemplo, plantas, armas e substâncias químicas não podem ser enviadas.

Há, também, restrições quanto ao peso e tamanho do objetivo despachado. A soma das dimensões dos pacotes (comprimento, largura e altura) não pode ultrapassar 200 cm e os serviços de SEDEX não carregam mais do que 30 quilos por encomenda.

Os Correios também têm áreas de restrição, onde não fazem entregas. Nesse caso, o destinatário precisa retirar o item em uma agência, o que nem sempre é conveniente para o consumidor. As greves e os períodos com prazos diferenciados, como o Natal, também podem fazer as entregas demorar bastante.

Essas limitações fazem com que, muitas vezes, não seja possível entregar produtos pelos Correios, e seja necessário contar com uma segunda opção.

No começo do ano, o e-Sedex, um dos serviços preferidos dos lojistas, foi descontinuado pelos Correios, mas quem tem uma Loja VirtUOL pode usar o Envio Fácil PagSeguro, um serviço ágil, seguro e eficiente para quem vende pela internet.

Transportadora 

As transportadoras costumam ser bem mais flexíveis com relação à carga que carregam. É claro que existem várias empresas neste segmento no país, e cada uma tem suas próprias regras, mas elas costumam entregar objetos mais robustos e que normalmente os Correios não aceitam.

Um dos benefícios de contratar uma transportadora é que a entrega é direta. Diferentemente dos Correios, que podem passar a encomenda de um centro de distribuição a outro até chegar ao endereço, a transportadora retira o pacote na sua loja e a entrega diretamente na casa do comprador.

Raramente sua loja será afetada por greves ou atrasos por conta de datas comemorativas, se você optar por usar os serviços de uma transportadora.

Esse serviço, normalmente, é mais caro, o que é um ponto negativo para a loja e, principalmente, para o consumidor. Mas, muitas vezes, as transportadoras estão abertas a negociação e a fechar pacotes que sejam mais vantajosos para sua loja. Vale conversar. 

O cálculo do frete, muitas vezes, não pode ser feito automaticamente, como acontece com o sistema dos Correios, o que também pode fazer o fechamento da compra demorar mais.

>> Temos aqui 5 dicas para melhorar sua logística!

Entrega própria

Outra opção é fazer você mesmo a entrega dos produtos. Nesse caso, sua loja precisa ter algum tipo de veículo e um funcionário à disposição para fazer as entregas diariamente.

Nesse cenário você está seguro contra greves e atrasos e pode controlar melhor a integridade do produto supervisionando sua alocação no carro. Contudo, é necessário calcular quantos veículos e motoristas você teria de pagar para fazer esse tipo de entrega, para dizer se seria mais caro ou barato do que a transportadora.

Tendo um carro ou uma frota pequena como única forma de frete, você, provavelmente, só conseguiria fazer entregas nos bairros mais próximos, dentro de sua própria cidade, o que pode não ser muito interessante se você tiver interesse de vender para todo o Brasil.

Na hora de definir a logística do seu negócio não existe certo e errado, e você pode até misturar diferentes formas de frete, dependendo da necessidade do cliente e do pedido em questão. O importante, aqui, é estudar o que faz mais sentido para sua loja e é conveniente para o cliente.