LOGO UOL HOST

Receba por e-mail as novidades e publicações da Academia UOL HOST

Cuidado: serviços em nuvens estrangeiras podem se tornar uma grande dor de cabeça

Conheça, também, as vantagens dos serviços em nuvens nacionais

Em um passado bem pouco distante, quando a situação econômica do Brasil estava mais estável e, consequentemente, o dólar mais baixo, adquirir produtos e serviços importados podia ser vantajoso para o consumidor.

No entanto, com a mudança de cenário econômico, a história muda de figura. E com os serviços de tecnologia não é diferente.
 A contratação de datacenters e servidores em nuvem, serviços que geralmente são procurados por brasileiros em empresas de fora, está saindo mais caro que o previsto.

→ Leia também: Como a computação em nuvem pode ajudar pequenas e médias empresas

Muitos (e altos) impostos

Isso acontece não apenas devido à moeda estrangeira estar mais cara. Outro fator que deixou mais caro a contratação de serviços de tecnologia estrangeiros é a temida tributação.

Desde outubro de 2014, a Receita Federal, por meio do Ato Declaratório nº 7, está autorizada a cobrar impostos e contribuições das empresas que usufruem de serviços de armazenamento e processamento de dados para acesso remoto que venham de fora de nossas fronteiras.

Ou seja, quem hospeda dados nos servidores fora do Brasil está sujeito a pagar alguns impostos: IRRF (Imposto de Renda Retido na Fonte); Cide-Royalties (Imposto de Intervenção no Domínio Econômico destinado a financiar o Programa de Estímulo à Interação Universidade-Empresa para o Apoio à Inovação); Contribuição para o PIS/Pasep-Importação e a Cofins-Importação.

Isso sem contar a incidência de IOF (Imposto sobre Operação Financeira) para operações de crédito, que hoje é de 6,38%.

Trocando em miúdos, sua conta pode ficar cerca de 50% mais cara que o valor final contratado.

Falta transparência nas cobranças

Outro ponto que deve ser levado em conta na hora de recorrer às nuvens importadas é que boa parte das empresas não tem um sistema claro de cobrança. Você não consegue provisionar seus gastos e, mesmo com a conta final em mãos, fica meio perdido com os cálculos apresentados pelas empresas.

→ Leia também: Calcule os custos de migrar para a nuvem

Custos como transferência de dados, muitas vezes, não ficam claros e por conta disso, a conta costuma assustar quando chega no fim do mês.

As vantagens dos serviços brasileiros

Por outro lado, é preciso analisar, também, as vantagens que só aqueles que usam os serviços em nuvens nacionais têm. Além do melhor controle de gastos, como já citado, podemos destacar o suporte técnico na língua nativa e no nosso fuso horário.

Pode parecer irrelevante, mas só quem já passou pelo sufoco de precisar entrar em contato com o provedor estrangeiro e teve de encarar interurbano, diferença de horário e até mesmo apelar para o tradutor online, sabe que ter o atendimento por perto é muito importante.

E trabalhando com as piores hipóteses – não podemos deixá-las de lado –, caso você tenha problemas com a empresa prestadora dos serviços e queira mover uma ação judicial, a distância entre vocês vai atrapalhar. Isso sem contar a possibilidade de falência de uma empresa estrangeira, levando consigo toda a informação vital do seu negócio.

Por fim, as conexões com os datacenters brasileiros têm um tempo de resposta mais curto, ou seja, você ganha velocidade na transferência de arquivos e dados.

Portanto, com o dólar lá em cima, altos impostos e cobranças confusas, recorrer às fontes de fora, com tantas opções interessantes aqui no país, não parece ser o caminho mais inteligente. Pense bem e analise todas as hipóteses antes de tomar uma decisão.