LOGO UOL HOST

Receba por e-mail as novidades e publicações da Academia UOL HOST

6 cuidados ao transformar sua loja em aplicativo móvel

Nem só de Facebook, Instagram e Candy Crush vivem os usuários de smartphones e tablets. As lojas virtuais cada vez mais têm invadido os dispositivos móveis e vieram para ficar. 

A Forrester Research projeta que o m-commerce movimente, até 2017, 31 bilhões de dólares, respondendo por 9% das vendas online.

Grandes lojas, como Amazon, Submarino e Americanas.com, já têm versões móveis de seus sites, feitas para caber no bolso do cliente.

Se você também pensa em transformar sua loja em um aplicativo, confira algumas questões que devem ser levadas em conta nessa transição:

Analise o custo-benefício

Verdade seja logo dita: não é barato criar um aplicativo. Dificilmente você irá conseguir essa produção por um valor abaixo de quatro dígitos. 

Investir em um design responsivo pode ser uma solução mais barata, se o orçamento estiver curto. Um site que funcione corretamente em dispositivos móveis pode ajudar a alavancar as vendas sem comprometer o caixa.

Consulte o seu público-alvo

E se você produzir um aplicativo com todo carinho e cuidado e ninguém tiver interesse em baixá-lo? Já pensou que frustração? Pois é, mas isso pode acontecer, especialmente se você não souber o que seu público espera.

Faça uma pesquisa com seus clientes e entenda se eles realmente têm interesse nesse tipo de ferramenta. Se tiverem, procure explorar qual o formato e conteúdo que os agradariam e como eles gostariam que fosse essa plataforma.

A opinião deles é muito importante para seguir, ou não, em frente com o projeto.

Mapeie o mercado

Vale lembrar também que cada sistema operacional móvel tem sua própria linguagem e seu aplicativo precisará de adaptações consideráveis para funcionar em cada um deles.

Um aplicativo desenvolvido para rodar em Windows Phone não funcionará automaticamente em Android ou iPhone, por exemplo. As lojas de aplicativos de cada sistema também têm processos de inclusão e aprovação diferentes, o que torna o processo ainda mais complexo.

Por tanto, vale ressaltar de novo que você provavelmente precisará da ajuda de um profissional especializado nesta empreitada.

Planeje a ferramenta

Um aplicativo bem feito leva tempo para ser desenvolvido. Você precisa ver e rever cada detalhe, além de colocá-lo algumas vezes em uso somente para teste.

Navegação rápida, finalização simples e eficiente de compras e integração com redes sociais são alguns dos diferenciais que um app móvel pode oferecer.

Não tenha pressa para lançá-lo no mercado. Um produto mal feito, concebido às pressas, pode queimá-lo com os clientes.

Faça a integração de sistemas

O aplicativo deve estar integrado ao sistema da loja online, assim como o da loja física, se for o caso.

Se o aplicativo não fizer parte do sistema de controle de vendas, a mesma unidade de um produto pode ser vendida duas vezes em plataformas diferentes e isso pode trazer uma baita dor de cabeça. 

Mantenha o padrão de qualidade e a identidade de sua loja

Por fim, se decidir mesmo colocar a ideia em prática, lembre-se que o aplicativo é uma extensão de sua loja virtual. Ele deve trabalhar com os mesmos conceitos, missões e atrativos de seu site.

As peças do catálogo virtual da loja, por exemplo, devem estar presentes também no aplicativo, assim como a mesma linguagem e benefícios de pagamento. É aconselhável também não ousar demais no visual e deixá-lo totalmente desconexo do site.

Eles podem ter um design diferente, no entanto, é preciso manter a identidade visual da marca. 

 

Você já pensou em desenvolver um aplicativo para sua loja online? Conte para gente o que te fez seguir em frente ou desistir da ideia.