LOGO UOL HOST

Receba por e-mail as novidades e publicações da Academia UOL HOST

5 lições de empresas que tiveram um excelente 2015 no mercado digital

Coloque os ensinamentos em prática no próximo ano

O ano de 2015 pode não ter sido, no geral, fácil. Mas há quem não tenha deixado se abalar com a crise e aproveitado o ano para crescer profissionalmente.

⇒ LEIA TAMBÉM: Como manter seu negócio em alta em um cenário econômico desafiador

Com estratégias acertadas, empreendedores conseguiram passar por cima das dificuldades e estão fechando o ano com um saldo positivo – e isso vale não apenas para empresas com uma longa trajetória e anos de experiência, mas também para estreantes no mercado.

Seja investindo em novos modelos de negócio ou apostando em estratégias mais acessíveis, como manter um relacionamento próximo com o público por meio de ferramentas de marketing digital, é possível se destacar no seu nicho e não deixar a peteca cair.

Se você deseja ver seu negócio crescer ou quer empreender em 2016, essas empresas podem servir como inspiração e ensinar muita coisa. Olha só algumas lições que você pode aprender com elas:

1. Oferecer produtos/serviços que aliem novidade à praticidade – aLavadeira.com

Enquanto os consumidores cortam gastos e deixam de comprar, oferecer produtos e serviços que tenham um alto valor agregado pode ser a chave para não sofrer com o cenário.

“Quando uma empresa faz o mesmo, independentemente do ciclo econômico, ela sofrerá em crises. Quando se traz algo novo, um valor que não existia para o consumidor, o público responde, a crise pode até catalisar esse movimento”, aponta Humberto de Andrade Soares, um dos sócios de aLavadeira.com.

Com a proposta de trazer comodidade a famílias, a Lavadeira oferece serviço de lavagem de roupas por meio da assinatura de planos online. Em dias fixos, o cliente recebe a visita da empresa, que retira a roupa suja e entrega tudo lavado e passado. A marca oferece planos conforme a necessidade do cliente, com preços a partir de 79,90 reais mensais.

O serviço promete eficiência e preocupação ambiental, apostando em uma tecnologia que realiza a lavagem das roupas com impacto reduzido para o meio ambiente.

“O que nos deixou mais felizes neste ano foi a validação de nossa estratégia central, que se manifestou tanto na forma de parceria com fundos de investimento quanto com a adesão do serviço por uma grande onda de novos assinantes”, conta Soares.

Atendendo vários bairros de São Paulo, a Lavadeira recebe, atualmente, cerca de duas mil peças por dia. A previsão é de que a empresa feche o faturamento de 2015 com um crescimento de 400% em relação ao ano passado.

Para o futuro, os planos também são otimistas – com o recente aporte de dois fundos de investimentos estrangeiros, a marca pretende investir em novos equipamentos, contratação de funcionários e abertura de uma nova sede. Para os próximos dois anos, a expectativa é de alcançar a marca de 30 mil assinantes.

2. Investir em marketing digital – Dot Paper

Você já investe em marketing digital? Além de apresentar valores mais acessíveis, as ferramentas online podem ser armas poderosas para impulsionar as vendas do seu negócio. Foi o que aconteceu com a Dot Paper, papelaria personalizada.

“Posso afirmar, com absoluta certeza, que o uso da internet como ferramenta de vendas foi a nossa estratégia mais positiva neste ano. O uso das mídias sociais,como Instagram e os anúncios impulsionados no Facebookaumentaram nosso faturamento no ano em 35%”, conta Fabiani Christine, paper designer e proprietária da Dot Paper.

A marca surgiu em 2003, como e-commerce. Em 2005, Fabiani abriu uma loja física em Brasília.

“A loja virtual nos concede a venda para aquele público que não tem a possibilidade de vir à loja, mas tem muito interesse em adquirir o produto. Isso é fundamental para a empresa”, afirma a proprietária.

Entretanto, a loja física também possibilita a criação de novos nichos de mercado. Em 2015, a Dot Paper inovou com a criação de dois serviços: a Dot Delivery, um serviço de entrega de convites e presentes; e a Dot Rent, um espaço dentro da loja que aluga peças exclusivas para festas. O Instagram funciona como uma vitrine para esses objetos. As pessoas vão até o espaço atraídas pelas fotos da rede social.

“Deixei mais clientes satisfeitos e consegui angariar mais capital para pagar as contas. E, mesmo com a crise, não deixei de investir em publicidade online”, pontua Fabiani.

3. Criar um relacionamento próximo com o público com a ajuda das redes sociais – +Mu

Usar as redes sociais para “conversar” e interagir com os clientes, tirando o foco das vendas e mirando na consolidação da marca no mercado.

Esta é a estratégia da +Mu. Com apenas seis meses de vida, a empresa comercializa produtos proteicos à base da proteína do soro do leite. Mesmo nova no mercado, a marca já tem uma boa base de seguidores nas redes sociais: são mais de 4 mil na página do Facebook e cerca de 6,5 mil no Instagram.

“Facebook e Instagram são ótimos para gerar conhecimento de marca e também possibilitam um canal de conversa com o cliente”, destacam Antonio Neto e Otto Guarnieri, sócios-fundadores da +Mu.

O trabalho da equipe tem gerado bons resultados no alcance da marca. Em apenas seis meses, os produtos já são distribuídos em 20 pontos de venda físicos no estado de São Paulo, além da comercialização pela loja virtual.

Contabilizando mais de 3 mil produtos vendidos, as expectativas para o próximo ano são bastante positivas, uma vez que o crescimento registrado pela marca em seu início tem sido constante.

“A +Mu vai fechar 2015 de uma maneira extremamente positiva. Ainda na fase de introdução no mercado e com uma estrutura de custos, despesas e investimentos enxuta, a empresa aumenta mensalmente a sua receita em uma taxa média de 20%”, revelam os sócios.

4. Apostar no comércio eletrônico – Grupo Água Fresca Lingerie

Se o seu negócio trabalha apenas com vendas em lojas físicas, talvez seja hora de começar a explorar as possibilidades e o alcance que uma loja virtual pode proporcionar.

⇒ Quer saber todos os passos para abrir uma loja virtual? BAIXE O E-BOOK GRÁTIS: Como montar sua primeira loja virtual.

Em 2015, o Grupo Água Fresca Lingerie investiu em expansão. Além do lançamento de novas coleções, duas novas lojas foram abertas, chegando a um total de cinco endereços da marca em Belo Horizonte (MG).

Mas o ano não foi apenas de expansão em espaços físicos: no início de 2015, a Água Fresca inaugurou sua loja virtual. Já com presença forte na capital de Minas Gerais, a marca está disponível agora para todos os estados brasileiros.

“Apesar da retração da economia, os investimentos de expansão nos trouxeram bons resultados. Hoje vendemos para estados que antes não conheciam nosso trabalho. Por isso, ganhamos um maior número de clientes. A loja online ainda está em processo de maturação, mas já percebemos um crescimento significativo”, conta Juliana Moraes, sócia-proprietária do grupo.

A marca encerrará o ano com um crescimento de 5%, mantendo o ritmo conquistado no ano passado, sendo que 2% dessa taxa correspondem ao montante das vendas realizadas pelo e-commerce.

5. Buscar boas parcerias – Giuliana Flores

A união faz a força! Ter a seu lado bons parceiros que acreditam no seu negócio é algo que pode ajudá-lo a crescer e a realizar coisas que não seriam possíveis de fazer sozinho.

Para a Giuliana Flores, e-commerce de flores e presentes, os parceiros foram fundamentais para que a empresa continuasse crescendo em 2015.

“Neste ano, testamos um novo modelo de entrega, o de bike. Em julho, fechamos uma parceria com a Courrieros para entregar na cidade de São Paulo via bike, e tem sido superbem recebido”, comenta Juliano Souza, diretor de marketing da Giuliana Flores.

Com o estabelecimento de parcerias estratégicas com floriculturas espalhadas por várias cidades, a marca conseguiu entregar seus produtos com rapidez e eficiência, deixando clientes satisfeitos em todo o Brasil – mais de cinco mil cidades são atendidas.

Até o início de 2016, a empresa pretende integrar cerca de 100 comércios parceiros à sua plataforma online para agilizar o recebimento dos pedidos e as entregas para o consumidor.

Para manter as vendas aquecidas, Souza conta que a marca não deixou de investir em ações promocionais, especialmente nas datas mais importantes para o comércio.

“Tivemos ações, por exemplo, na Semana do Consumidor, data que aumenta em 23% a nossa venda em comparação a uma semana normal; e para o Dia das Mães, quando temos cerca de 15 mil pedidos, o que representa 5% do faturamento anual”, lembra o profissional.

⇒ SAIBA MAIS: Webinar Como planejar uma promoção de sucesso com o CEO da Giuliana Flores, Clóvis Souza.

Graças aos esforços combinados, a Giuliana Flores sai de 2015, ano em que completa 25 anos de existência, com um saldo bastante positivo. São entregues, em média, 25 mil pedidos por mês e o tíquete-médio de compras é de 118 reais. A expectativa é de que o faturamento deste ano registre um aumento de 20%.

Siga essas lições e busque um ótimo ano novo para o seu negócio também!