SUPERGUIA ACADEMIA:
Prepare sua loja para decolar

Como se organizar para expandir seus negócios

Sabe aquele friozinho na barriga ao ouvir o comandante anunciando a decolagem do avião e pedindo que apertemos os cintos?

É mais ou menos essa a sensação de insegurança e medo do inesperado que acomete os empreendedores que querem dar um passo mais largo e alçar novos voos.

E não há nada errado nisso. Afinal de contas, nunca se sabe os obstáculos que existem no meio do caminho. Por exemplo, antes de um piloto de avião encarar a primeira viagem, ele simula diversas situações e estuda a rota. Preparando-se dessa maneira, ele sabe o que precisa ser feito em casos de turbulência.

Para um empreendedor, vontade e dinheiro não são suficientes para garantir sucesso no mundo dos negócios. Adquirir conhecimento, conversar com especialistas e montar um planejamento adequado também são passos obrigatórios para quem projeta objetivos maiores.

Projetar um crescimento sem ter bem definido quem serão os novos fornecedores e o público-alvo e quais serão os custos fixos e variáveis é dar um tiro no próprio pé.

A maioria dos empreendedores brasileiros ainda está administrando o primeiro negócio. A falta de experiência pode atrapalhar em algumas etapas, principalmente quando o negócio começa a fluir. Fuja dessa armadilha e planeje muito bem sua expansão para evitar tropeços no caminho.

Fontes: Endeavor, Global Entrepreneurship Monitor e IBGE.

 

 

Inove!

"Não se conseguem resultados diferentes fazendo sempre as mesmas coisas."

Albert Einstein

Qual a hora certa de crescer?

Antes de colocar a mão na massa, responda a algumas perguntas:

Por que eu preciso crescer?

Fator concorrência: ter empresas competindo pelos mesmos clientes não pode ser visto como um problema. Pelo contrário, é algo muito positivo e que motiva ainda mais o trabalho. Isso porque a concorrência obriga o empreendedor a não se acomodar nos bons resultados. É preciso crescer para continuar oferecendo produtos e serviços de qualidade. E no Brasil não são só as empresas locais que disputam um lugar ao sol. Por conta do crescimento do consumo brasileiro, todo ano companhias estrangeiras de diversos setores se instalam no país.

Estou preparado para crescer?

Expectativas dos meus clientes: você só deve dar um passo adiante quando estiver confiante de que seu negócio tem qualidade. Avançar cheio de incertezas e inseguranças já é um indicativo de que a coisa não vai funcionar. Se você já possui uma lista considerável de clientes fiéis que sempre retornam à sua loja para comprar novos produtos, pode acreditar que tem muito mais a oferecer.

Até onde eu sou capaz de chegar?

Trace uma meta dentro da sua realidade: para responder a essa pergunta, é preciso se colocar dentro da sua realidade. Não dá para sonhar com a abertura de capital na bolsa de valores (IPO) amanhã. O ideal é apostar em metas mais "pés no chão", como triplicar o faturamento anual ou expandir sua atuação para outras regiões.

Por qual caminho devo seguir para crescer?

Multiplicando o seu dinheiro: injetar mais dinheiro é a única resposta a essa pergunta. Agora, há várias maneiras de captar recursos. Entre elas, estão a geração de caixa da empresa, o reinvestimento dos sócios, recursos de investidores externos ou empréstimos de instituições financeiras.

Como analisar as oportunidades e os riscos

Algumas ferramentas podem ajudá-lo no planejamento de seu crescimento. Uma opção fácil, sem custo e que funciona bem para essa situação é a Análise SWOT.

Do inglês, o termo SWOT (Strength, Weakness, Opportunity, Threat) significa Forças, Fraquezas, Oportunidades e Ameaças.

Essa análise propicia o conhecimento de fatores internos e externos que interferem no crescimento de uma empresa.

Colocando no papel (ou na planilha) todos os aspectos positivos e negativos internos e os obstáculos externos, você consegue ter uma visão mais completa do seu atual momento e, assim, agir com mais precisão.

Faça essa análise, e conseguirá enxergar melhor alguns pontos que precisam ser melhorados, os cuidados que devem ser tomados e identifique elementos-chave para a gestão de sua empresa, o que implica estabelecer prioridades de atuação.

Como construir a Análise SWOT

Divida uma folha em quatro quadrantes iguais. Cada um deles vai representar: Pontos Fortes, Pontos Fracos, Oportunidades e Ameaças. Preencha cada quadro de acordo com as características do mercado em que você atua e da sua empresa.

Em Forças coloque pontos da marca a ser explorados. Exemplos: "produtos de qualidade", "tecnologia própria", "equipe de profissionais talentosos em diversas áreas".

Em Fraquezas enumere os pontos da marca que precisam ser melhor trabalhados. Exemplos: "recursos financeiros escassos", "pouca variedade de produtos", "preços superiores aos dos concorrentes".

Em Oportunidades pontue fatores externos que podem alavancar o negócio. Exemplos: "formação de novas parcerias", "capacitação de novos clientes", "absorção de novas tecnologias".

Em Ameaças coloque os fatores externos que podem colocar o negócio em risco. Exemplos: "concorrentes emergentes", "redução de demanda no mercado", "crise na economia", "perda de vendas para produtos substitutos", "sazonalidade".

exemplo de analise swot

Fontes: Márcio Iavelberg, presidente da consultoria empresarial Blue Numbers, e Douglas Tadeu Carvalho, diretor comercial da PME Inova Consultoria e Treinamento.

 

 

Cursos para empreendedores que querem crescer profissionalmente

Há uma série de escolas de negócios e consultorias especializadas em auxiliar os passos de empreendedores nas etapas de crescimento. Muitas, inclusive, oferecem cursos gratuitos e a distância, o que pode facilitar sua logística.

Sebrae:
Oferece mais de 30 treinamentos online gratuitos com tutoria, incluindo módulos como "Análise e Planejamento Financeiro". Os cursos têm carga horária média de 16 horas.

FazInova:
Criado pela empreendedora Bel Pesce, o site oferece dois cursos online gratuitos: "A Menina do Vale", baseado no livro homônimo da autora, e "Canvas de Modelo de Negócios", oferecido em parceria com a PwC.

FGV:
Disponibiliza cursos online grátis sobre diversos temas, incluindo Introdução à Administração Estratégica (5 horas); Fundamentos da Gestão de Custos (5 horas); e Recursos Humanos (15 horas).

Veduca:
Exibe aulas de administração e negócios (com legendas) ministradas em universidades como Yale, Berkeley e Harvard. O curso Líderes Empreendedores, da universidade de Stanford, por exemplo, traz 13 módulos, abordando temas como: Compondo o time e Trazendo propósito para a sua empresa.

Escola do Empreendedor Paulista:
Iniciativa do governo do estado de São Paulo, a escola oferece dez cursos independentes e digitais, com duração de 2 a 3 horas cada um. Em cada aula, são apresentados vídeos e questões objetivas. Após fazer a Avaliação Final, o aluno recebe o certificado do programa.

Peras Ideias:
Oferece um treinamento bastante explicativo e no modo tutorial online, com duração de 4 horas, para você aprender a fazer toda a gestão de produtos na sua Loja Virtual UOL Magento, uma das mais completas do mercado. É perfeito para o empreendedor que ainda não conta com tantos recursos externos como programadores e designers.

USP:
Em parceria com a Fundação Lemann, de Jorge Paulo Lemann, a FEA USP (Faculdade de Economia e Administração da Universidade de São Paulo) oferece o curso online Fundamentos de Administração. O curso é gratuito e ministrado pelo professor Hélio Janny. Em 17 aulas, transmitidas através da plataforma Veduca, são ensinados desde conceitos básicos de administração de empresas até ferramentas para melhorar o desempenho de um negócio.

UOL Cursos Online:
O UOL disponibiliza uma série de cursos livres com certificados e que podem ser feitos online, de acordo com a disponibilidade de tempo do estudante. É possível encontrar áudio-aulas que ensinam desde práticas de informática e administração até técnicas de liderança, relacionamento e atendimento.

Mensurando os resultados

De nada adianta ter um bom planejamento, se você não puder acompanhar os resultados de perto. Eles são a bússola que dirá se você está indo na direção correta e vão apontar possíveis correções de rumo. Há diversas metodologias que podem ajudá-lo a definir metas e a criar indicadores para acompanhar seu atingimento. Confira, a seguir, uma delas, simples de entender e colocar em prática.

Metodologia OKR

A metodologia OKR (Objectives and Key Results) é um sistema que reúne uma série de objetivos inter-relacionados que dão direção e sentido a tarefas de todos os profissionais na organização. Trata-se, portanto, de uma poderosa ferramenta de avaliação de desempenho, tanto da empresa como de cada membro. Nesse caso, os objetivos precisam ser:

Quem define as metas da organização: engana-se quem pensa que compete apenas aos diretores a função de definir os objetivos de cada funcionário. Nesse sistema de gestão, pelo menos 60% são OKRs determinados por cada profissional, enquanto o restante fica a cargo dos líderes. Enfim, todos devem participar e aprovar os objetivos.

Quantas metas e quais são seus prazos: definem-se, no máximo, cinco objetivos macro a cada trimestre. É importante que cada objetivo macro contenha entre três e cinco resultados mensuráveis. Depois desse período, os OKRs devem ser atualizados. Aproveite para tirar lições dos resultados a fim de colocar a sua empresa no caminho mais rápido do crescimento.

Como dar notas às metas: acabando o trimestre, os resultados devem receber notas que vão de 0 a 1. Uma média entre 0,6 e 0,7 dos OKRs já é considerada bem satisfatória. Notas abaixo disso precisam de alternativas. Agora, um resultado que obteve nota 1 significa que a meta não era tão ambiciosa quanto precisava ser.

Adotando medidas para os resultados: como já falado anteriormente, todos os resultados precisam ser mensuráveis. Nesse sentido, você deve adotar medidas que são facilmente calculadas, como porcentagem, intervalo numérico, valores monetários e sistema binário (sim ou não).

Simplificando com um exemplo

Objetivo: começar a fazer entregas para mais cinco cidades do interior do estado

exemplo de metodologia okr

Inspire-se em gigantes: Desenvolvida pela Intel, a metodologia OKR foi adotada por grandes empresas, como Google, LinkedIn e Twitter. Por que não fazer o mesmo?

Baixe o superguia completo em pdf