SUPERGUIA ACADEMIA:
Prepare sua loja para decolar

Marketing e divulgação

O maior combustível de uma loja são os clientes. Afinal, se ninguém comprar nada, a loja não vai sair do lugar.

Portanto, para que seu negócio ganhe ritmo e comece a alçar voos mais altos, você precisa investir em ações de marketing para aumentar sua visibilidade e, consequentemente, a clientela.

Portanto, prepare-se para mergulhar em diversos canais de comunicação, como redes sociais, e-mail marketing e até mesmo o Google. E, claro, para bolar boas promoções para seus clientes. Afinal, quem não gosta de juntar milhas para voar de graça?

 

 

 

Promoções! As queridinhas dos clientes

Qual cliente não gosta de um desconto ou de tirar alguma vantagem em uma compra? Em época de queima de estoque, é comum as lojas lotarem a vitrine com cartazes de "30%, 40% e 50% de desconto". Em uma loja virtual, você pode (e deve) fazer o mesmo e até promover ofertas exclusivas.

Datas comemorativas:
Natal, Dias das Crianças e Dia dos Namorados são ótimas datas para fazer uma oferta especial.

Mudança de estação:
Ih, o verão está acabando e ainda há peças da coleção no estoque? Aproveite a mudança de estação para eliminar todo o estoque.

Dias de lançamento:
Está lançando um produto ou serviço? Faça uma promoção para os primeiros compradores.

Outras oportunidades para lançar promoções

E-mail de abandono de carrinho:
Segundo o Ibope, a taxa de abandono de carrinhos é de 83%. Para não perder essa venda que estava tão próxima de ser concretizada, encaminhe um e-mail convidando o usuário a concluir a compra, oferecendo uma porcentagem de desconto. Mas, preste atenção! Para que o seu cliente não abandone o carrinho de propósito sabendo que vai ganhar algum desconto, crie regras para esse tipo de mensagem. Por exemplo, só dê descontos na primeira vez que o cliente cadastrado na loja abandonar o carrinho.

Frete grátis:
Uma tentação para os e-consumidores. Mas, para você não sair perdendo, faça as contas e pondere valores mínimos para aplicar o benefício.

Compras à vista:
Sabendo que todas as transações parceladas possuem uma taxa próxima de 2%, ofereça um desconto para quem compra à vista, via boleto bancário.

Clientes fiéis:
Por que não dar descontos a quem comprar mais de dez vezes na sua loja?

4 dicas para aplicar um
desconto inteligente

De olho na margem de lucro:
Vamos supor que o gasto (impostos, fornecedor, mão de obra, etc.) de um produto seja 10 reais. O seu preço de venda é de 20 reais. A sua margem de lucro é de 100%. Você já sabe, então, que o novo valor, para que não haja prejuízo, deve estar entre 11 e 19 reais. Dentro desse limite, defina um preço de acordo com seu objetivo e estratégia.

Escolha os produtos certos:
Se um produto está saindo com bastante frequência, significa que ele não precisa de desconto para ser vendido. Priorize para essas ações os produtos que estão com dias extras no estoque. Você pode usar a estratégia de produtos "âncoras", como os supermercados fazem com o arroz. Eles costumam diminuir o preço do arroz, para atrair clientes que acabam comprando também a "mistura" e o feijão, por exemplo. Os itens adicionados na compra final podem estar com os preços levemente superiores, o que compensa na promoção.

Cuidado com promoções exageradas:
Um preço muito menor que o praticado no mercado pode causar uma má impressão para sua loja e levantar suspeitas quanto à sua qualidade. Sabe aquele ditado: "Quando a esmola é demais, o santo desconfia?" Pois é, muita gente o leva a sério.

Não vicie o cliente:
Não faça promoções toda semana. Se, em certa altura, você precisar manter os preços com altas margens para equilibrar o caixa, o seu cliente, que está acostumado a promoções, vai achar ruim e procurar outra loja.

Redes sociais: arma eficaz e acessível

Por sua popularidade, facilidade e baixo custo, as redes sociais entraram, e parece que não vão sair tão cedo, para o plano de ações de marketing das empresas de diferentes segmentos de atuação e tamanho do negócio. No Facebook, por exemplo, podemos encontrar desde páginas de multinacionais, como a Coca-Cola, até páginas de micronegócios de festas em domicílio.

Para as lojas virtuais, além de servir como uma bela vitrine de produtos, onde é possível utilizar fotos e vídeos para chamar a atenção do público, as redes sociais também ajudam na disseminação da marca e no engajamento com o cliente. Quem nunca se viu tentado a comprar em determinada loja porque ela posta coisas bacanas nas redes e "fala" a língua do público?

A influência das redes
sociais na decisão
de compra

Fonte: Oh! Panel.

Instagram


Número:

Mais de 200 milhões de contas cadastradas. O Brasil está entre os cinco países com o maior número de usuários.

Dica:

Poste fotos e até mesmo vídeos de qualidade dos seus produtos e novas coleções. No aplicativo, é essencial o uso das hashtags (#). Assim, fica mais fácil para o público encontrar suas novidades. Além disso, sua marca mostra que entende daquela rede, sabe como se portar ali. Os usuários gostam disso.

Veja como a hashtag pode fazer a diferença. Procuramos por uma tag popular nessa rede #lookdodia e encontramos algumas lojas de moda que usam essa e outras tags em suas fotos, a fim de que elas sejam encontradas. E foram por nós!

Instagram

Twitter


Número:

O país está entre os cinco principais em inscritos na rede social que conta com mais de 214 milhões de usuários ativos.

Dica:

De acordo com pesquisa da Nielsen Company, 70% dos usuários de tablets usam o aparelho enquanto estão assistindo a programas na televisão, e o Twitter é o canal preferido dos brasileiros para esse tipo de interação, conhecida como Segunda Tela. De acordo com a empresa de análise Topsy, a novela Amor à Vida, da TV Globo, por exemplo, gerou mais de 2,5 milhões de tuítes no Brasil durante sua exibição, entre os meses de maio e janeiro. Aproveite programas de televisão com grande repercussão, como final de novela, entrega do Oscar ou Copa do Mundo, para fazer promoções relacionadas à audiência nas redes sociais. por nós!

Twitter

O Ponto Frio criou o personagem Pinguim, que virou um verdadeiro sucesso por interagir com o público no Twitter. Lá, ele aproveita para fazer promoções de acordo com o assunto do momento. Na época da novela Amor à Vida, o Itaú também utilizou esse artifício para promover seus produtos.

Facebook


Número:

O Facebook possui 89 milhões de usuários no Brasil, sendo que 76% acessam a rede social pelo dispositivo móvel.

Dica:

Aproveite a popularidade da rede para disseminar sua marca. Os usuários gostam de imagens engraçadas e fofas. Fique por dentro dos "memes" do momento para aproveitar essas oportunidades e viralizar seus posts.

 

Facebook

O poder do e-mail marketing

Em um mundo onde milhões de pessoas compartilham e trocam experiências pelas redes sociais, alguns empreendedores acabam ignorando a ferramenta mais poderosa da web para atrair clientes: o e-mail marketing. Isso mesmo, o e-mail marketing vai dar uma bela turbinada na sua loja. Duvida? Então, dê uma olhada nesses números:

3,8 bilhões de contas de e-mail em todo o mundo.

92% dos internautas têm ao menos uma conta de e-mail.

72% dos usuários checam sua caixa de entrada de e-mails seis vezes ou mais todo dia.

Clientes cadastrados para receber newsletters gastam 83% a mais que os não cadastrados.

O e-mail marketing é 40 vezes mais eficiente que o Facebook para atrair clientes.

Para cada real investido em e-mail marketing, o retorno é de 44,25 reais.

9 em cada 10 clientes preferem receber ofertas na caixa de entrada.

Fonte: iContact/MyOptimind/McKinsey & Company.

Como fazer uma campanha matadora de e-mail marketing

O que fazer

Por quê?

Crie uma lista de contatos (mailing).

Você só deve encaminhar o seu e-mail marketing para pessoas interessadas na sua loja e no conteúdo que você tem a oferecer. A lista deve ser criada a partir do cadastramento dos clientes em seu site, feito, geralmente, após uma compra.

Seja criativo e chamativo nos títulos.

Não basta a pessoa receber o e-mail na caixa de entrada, ela precisa clicar para vê-lo. O assunto não deve ter mais que 50 caracteres. Aposte em palavras que despertem atenção, como: "novidade"; "você"; "grátis"; "desconto" e "agora".

Personalize os e-mails com o nome da pessoa que vai recebê-los.

Isso demonstra respeito e preocupação, já que todo mundo gosta de ser chamado pelo nome. Para isso, é preciso contar com uma ferramenta de e-mail marketing que disponibilize essa opção.

Use cores claras e leves de fundo.

Isso facilita a leitura do cliente.

Vá direto ao ponto.

E-mails longos são cansativos e fazem o leitor perder o interesse no conteúdo logo de cara.

Assine o e-mail com seu próprio nome, em vez de colocar o nome da loja.

Saber o nome da pessoa que representa a loja deixa o cliente mais confortável na hora de tirar alguma dúvida. Lembre-se: construir uma boa relação com o cliente é tudo para uma loja.

Invista em mensagens que sejam adaptadas às versões mobile.

Segundo a Litmus, empresa especializada em e-mail marketing, 47% dos e-mails são abertos em dispositivos móveis. Você não vai querer perder essa fatia, né?

Insira uma Call to Action que esteja bem visível.

O leitor tem de bater o olho e já encontrar a Call to Action. Assim, suas chances de converter um e-mail aberto em uma venda aumentam bastante.

O que não fazer

Por quê?

Não compre lista de e-mails pronta.

Isso é proibido pelo código de autorregulamentação para prática de e-mail marketing (http://www.capem.org.br).

Não envie e-mails com muita frequência ( uma vez por semana é o ideal para não ser esquecido e nem ser o chato que enche a caixa de entrada).

Além de o e-mail poder cair direto na caixa de spam, isso irrita o cliente. Aliás, essa é a razão para 69% das pessoas descadastrarem a assinatura.

Não cometa erros de português.

Esse tipo de erro faz com que a loja perca credibilidade.

Não exagere no tamanho das imagens.

Ninguém gosta de ter de baixar uma newsletter com imagens pesadas que demoram para carregar.

Não use cores escuras de fundo e fontes muito grandes.

Isso atrapalha a leitura do cliente.

Não desista.

Não é porque a tática não funcionou nos primeiros meses, que você perdeu dinheiro. Continue tentando, uma hora o retorno terá valido cada centavo.

Palavra de especialista

"O e-mail marketing costuma render dois dias de pico de tráfego para o site, principalmente no dia do envio. Contudo, o resultado do e-mail marketing não está diretamente relacionado ao dia e horário que você mandar, mas, sim, com o tipo de conteúdo e o perfil do seu negócio. Quem pensa que é melhor mandar o e-mail na terça-feira, porque o cliente está com a caixa de entrada lotada na segunda-feira e não vai ler o seu e-mail, está assumindo que o conteúdo não é relevante para o público."

Rodrigo de Almeida

Professor da Internet Innovation e
diretor comercial da Dinamize,
empresa de comunicação digital

O que é Call to Action

Em bom português, call to action é chamada para uma ação. Basicamente, são aqueles botões nos quais os usuários clicam e são redirecionados a uma nova página.

Eles transformam a audiência de um site em conversão. Em sites de e-commerce, é comum encontrar botões como "compre aqui" que leva o internauta à página de pagamento e "inscreva-se" que pede ao cliente fazer o cadastro dele na loja virtual.

Coloque seu site no topo das buscas sem pagar nada

SEO (do inglês, Search Engine Optimization) é o conjunto de técnicas para fazer com que seu site apareça bem colocado nas buscas. Afinal, pouquíssimos usuários vão além das duas primeiras páginas de resultados. Quanto mais bem posicionado você estiver, maiores as chances de atrair novos visitantes para o seu site, sem ter de pagar por isso.

Mas é importante ter em mente que apesar de SEO ser um trabalho de longo prazo e os resultados demorarem um pouco para aparecer, eles são duradouros. Não desanime!

Mesmo assim, é fundamental continuar sempre gerando novos conteúdos e revisitando suas práticas, pois as regras dos buscadores mudam de tempos em tempos, e seu posicionamento pode ser favorecido ou prejudicado com essas mudanças.

Você sabia?

 

Fonte: ComScore/Jupiter Research.

As melhores práticas de SEO

Como já dissemos, o resultado só virá se as técnicas forem colocadas em prática em conjunto. Fornecer conteúdo de qualidade, muita informação, como números e datas, e posicionar bem as palavras-chave já podem colocar o seu site no topo das buscas. Contudo, se o seu concorrente faz um trabalho semelhante, utilizar o protocolo de segurança https e aumentar a velocidade de carregamento da sua página podem ser os grandes diferenciais. Portanto, se preocupe com todos os critérios de SEO.

Abaixo, veja alguns quesitos que contam pontos no ranking dos sites de busca e comece a praticá-los já!

Palavras-chave:
elas fazem ainda mais diferença estando na URL, no título e no topo do texto. Para selecioná-las, veja quais são os principais produtos e assuntos que o seu site oferece. Depois disso, veja quais têm mais possibilidade de retorno utilizando as ferramentas Google AdWords e Google Trends. Mas tome cuidado! Repetir em excesso as mesmas palavras-chave deixa o texto ruim e os buscadores já são capazes de detectar o uso exagerado dessa estratégia, resultando em penalização dos sites que insistem em fazer isso.

Conteúdo relevante e de qualidade:
o Google quer oferecer aos usuários os sites com mais expertises em determinado assunto. Para saber disso, o buscador também avalia a quantidade de sites que compartilharam o link da sua página. Se a página de sua loja virtual foi compartilhada em 30 sites e a da sua concorrente em 15 sites, você tem mais chances de aparecer no topo da busca do que o seu concorrente. As duas ferramentas mais comuns para fazer esse tipo de análise são o Open Site Explorer e o Majestic SEO.

Protocolo HTTPS:
fornecer aos usuários sites com mais segurança na navegação também é um dos requisitos que o Google começa a exigir.

Design responsivo:
o Google dá prioridade a sites que sejam acessíveis para todos os tamanhos de tela.

Carregamento rápido:
um site que demora para carregar tem alta taxa de rejeição. Cerca de 40% dos visitantes abandonam sites que demoram três segundos para carregar. Portanto, evite usar Flash e imagens pesadas.

Facilidade de navegação:
um site bem arquitetado, no qual a pessoa não precisa de muitos cliques para chegar ao conteúdo que ela quer ver. Portanto, possuir um layout lógico e uma navegação bem intuitiva faz o usuário ter uma boa experiência.

URL explicativa:
o endereço eletrônico da sua loja precisa informar o usuário. A URL "www.nomedaloja.com.br/moda/calça_feminina" seria a ideal, por exemplo, para a página de calças femininas.

Imagens otimizadas:
nomeie as fotos de acordo com o que elas representam. Acrescente, também, Alt Tags (texto que é exibido quando o usuário passa o mouse sobre a foto). Isso também ajuda no posicionamento no Google Imagens.

Lembrete: Assim como seu site subiu nos resultados do Google, ele também pode cair. Portanto, não é porque alcançou uma boa posição que você pode deixar as boas práticas de lado, pelo contrário, o trabalho deve ser contínuo.

Quer resultados rápidos?
Dê uma forcinha com os anúncios pagos

A busca orgânica demora para dar resultados. E se você está querendo resultados rápidos para que esse voo decole logo, o melhor jeito de gerar tráfego qualificado é com as mídias pagas.

Mas lembre-se que isso não é um custo, e sim um investimento. Você vai atingir um público que, nesse momento, não seria capaz sozinho.

Links Patrocinados (Google Adwords)

Como funciona:

A empresa paga ao Google para aparecer nos primeiros resultados da página de busca, quando o usuário digitar determinadas palavras-chave em determinados dias e horários. O alcance pode ser regional ou nacional. Ideal para ser usado em sites que ainda não estão otimizados e em novas campanhas.

Como fazer:

Diferentemente do Facebook, é aconselhado contar com ajuda profissional. Acesse as páginas voltadas para anunciantes do site em que você quer fazer sua campanha, como o UOL, e confira as instruções.

Vantagens:

Você só paga pelo número de usuários que clicam no link; resultado rápido e ótima visibilidade e alcance. Segundo dados do próprio Google, 30% dos internautas clicam nos links patrocinados.

Desvantagens:

O site não permanece indefinidamente nos primeiros resultados, precisando de um bom plano de SEO. A prática não é tão simples quanto a teoria. Há uma série de fatores que são levados em consideração na hora da exibição dos resultados. Nem sempre a sua loja vai aparecer no resultado de determinada busca.

Facebook Ads

Como funciona:

A empresa paga para impulsionar, você acessa a área de anúncios e ali encontra todas as explicações. O processo é superintuitivo e não é necessário contratar um profissional para fazer isso.

Vantagens:

Atinge usuários que têm afinidades com o produto que você vende. Alcança usuários sem que eles façam busca pelo produto.

Desvantagens:

A taxa de conversão é mais baixa porque o usuário não foi atrás daquela informação. Portanto, é necessário fazer posts criativos, que gerem interesse, e segmentar muito bem o público-alvo. Quantas vezes você já viu na sua timeline um anúncio que nada tinha a ver com você? Pois é. A falta de segregação tem dessas coisas!

Remarketing no e-commerce

O que é?

Trata-se de um último esforço que uma loja faz para recuperar usuários que já tiveram algum tipo de interação com a sua loja virtual, como pesquisar um produto ou abandonar a compra antes de finalizar a etapa de pagamento. Em linhas gerais, é uma campanha de marketing direcionada para um público certeiro, que já mostrou algum interesse de comprar na sua empresa. Desse modo, o retorno sobre o investimento (ROI) costuma ser superior ao de uma campanha normal de marketing.

Exemplos de Remarketing

Rede de Display do Google:

Formada por milhares de sites, como Youtube, redes sociais, blogs e outros, ela é uma importante ferramenta para remarketing. Sabe quando, depois de entrar em uma loja virtual, pesquisar um produto e sair dela sem comprar nada, você se depara nas redes sociais com anúncios daquela loja e dos mesmos produtos pesquisados? Isso é remarketing. O usuário recebe um cookie ao visitar a sua loja e, quando ele navega em outros sites que têm banners publicitários (inseridos na Rede de Display do Google), ele será atingido por um anúncio da sua loja de acordo com o histórico de navegação dele.

E-mail de abandono de carrinho:

Quando o usuário coloca produtos no carrinho mas não chega a fazer o pagamento, ele recebe um e-mail para lembrá-lo de finalizar a compra. Fazendo isso, você atinge uma pessoa que esteve bem próxima de se tornar seu cliente.

Fonte: The Remarketing Report: Benchmark and Data Analysis on Connecting Web Behavior to Email Marketing, da Experian.

Resultados

O investimento de conversão costuma diminuir em até 60% em campanhas de remarketing que utilizam a Rede de Display do Google.

Um e-mail de abandono de carrinho aumenta em até 20 vezes a taxa de conversão se comparada ao envio de um e-mail marketing tradicional.

Baixe o superguia completo em pdf